22 de setembro de 2016

Esta eleição pode ser determinante para a cidade de Serra Preta

Rua João Reis é a mais antiga do município de Serra Preta.
Há tempos que debato a possibilidade de transformar a cidade de Serra Preta em patrimônio histórico da Bahia. A cidade foi elevada a condição de vila em 1722, uma das cidades mais antiga da Bahia.

Demorou, mas o tema parece que ganhou relevância. Muitos candidatos neste pleito já incorporaram a ideia. O candidato da oposição, Aldinho, e o candidato a vereador Sandro Sena abraçaram com plano de governo. Eles se comprometeram não só em reconhecer a cidade como patrimônio histórico, como também acataram o projeto de revitalização da sede municipal. Segundo debatemos, Serra Preta será uma cidade-escola, onde sua população possa se orgulhar dos benefícios e reconhecimento. A ideia é movimentar a cidade o ano inteiro com projetos culturais e artísticos.

Visita a reserva da Caboronga ao lado da cidade de Serra Preta
Visitei a reserva verde da Caboronga ao lado da cidade, que além de gerar emprego e renda para quem vive da agricultura, a reserva será incorporada dentro do ‘projeto político pedagógico’ para visitação de escolas e interessados.  Tive o prazer de andar por boa parte da reserva ao lado de seu idealizador, professor Zelito. Ele conta com muita emoção a luta para comprar a terra. Chegamos ao entendimento, que a Caboronga precisa ser melhor aproveitada, através de obras que provoquem pouco impacto ambiental, como um salão livre para 200 visitantes, pro exemplo. Pode ser um excelente centro de palestras socioambientais.

Serra Preta é cercada de riqueza histórica. O Tanque dos Milagres, hoje abandonado, precisa se revitalizado, arborizado e com iluminação apropriada. O lago se encontra logo no início da cidade e é uma nascente de riacho. Muitos não sabem, mas a abundância de água doce foi um dos fatores de disputa entre os portugueses e os índios Paiaiá para o controle da região.
Reserva da Caboronga. Ao fundo, a cidade de Serra Preta.
Os casarões, hoje muitos em decadência, estão sendo substituídos por “novas” casas. Um erro! São os casarões que caracterizam boa parte da cidade. Em passado recente, destruíram a escadaria da bela Igreja de Nossa Senhora do Bom Conselho. E o que falar da destruição do barracão pela própria prefeitura? Um absurdo, claro!

Em 2013, Dilma liberou 1,6 bilhão para cidades históricas.  Serra Preta não ganhou nada porque poucos sabem de sua existência e qualidades. Cabe a Prefeitura Municipal investir neste sentido. O candidato Aldinho, favorito até o momento, se comprometeu a criar a Secretaria de Cultura para tocar diversas ações culturais, como o festival de música, a produção de vídeos e a valorização da centenária festa da Capina do Monte. Serra Preta ‘esconde’ um tesouro perdido, já encontramos, mas espero que possamos lapidar num futuro próximo. 

Matéria Relacionada
O ELO PERDIDO: Serra Preta precisa ser TOMBADA como patrimônio baiano


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe do blog deixando sua mensagem, nome e localidade de onde escreve. Agradecemos.